domingo, 27 de setembro de 2009

Da cor do algodão


Resolveram dá uma pausa nas reflexões e devaneios. A garganta precisava de hidratação. Pediram uma bebida e brindaram por uma vida mais plena, com mais sorrisos, amizades sinceras e menos solidão. Goles longos para uma noite quente. Secaram as tulipas e ficaram mudos por 47 segundos. Até que uma onda sonora quebrou o silêncio em duas partes:

- Você acha que eu tenho algum charme?

- Acho. Você tem olhos gentis e um canino sedutor.

Ele riu da inusitada e inesperada resposta. Não tinha o costume de aceitar elogios, porque, segundo a sua frágil teoria, os adjetivos podem desestabilizar um homem. Mas ela sabia usar muito bem as palavras. Perdeu as contas das vezes que a devorou secretamente durante a noite alta. Tentando, em vão, decifrar nas entrelinhas as taras e temores que repousavam sobre a página branca. A mesma cor que dava ao seu corpo miúdo o ar de menina francesa, criada nos campos de algodão de um Seridó ancestral.


18 comentários:

Marina disse...

Que post lindo. A escolha das palavras certas, deu ao post um ar de suavidade e melancolia na dose exata.
Adorei!

Camila Costa disse...

Como sempre, super foda.

Debs disse...

charme tem esse seu texto. como sempre.. =D

Priscila Adélia Pontes disse...

Lindo! Quando eu crescer, quero escrever igualzinho a você :)

Sara disse...

Este entre para os meus favoritos.

LucéliaMaria... disse...

Início de noite desta última segunda-feira de Setembro. Não aguento mais pensar em políticas habitacionais que não deram certo e mais uma aí que eu nao sei se vai dar... Aaaah... Chega! Até que eu leio:

Panelovisky - Blog atualizado 27.09

'Corro', eu, pra "o que eu também vejo"!!!

Aaaah, que agradável, Panela! Lindinho... Agora eu não entendi o "criada nos campos de algodão de um Seridó ancestral".. Ou melhor, eu acho que entendi, assim como entendi quando a Clarice disse que Adorava escutar o perfume das rosas. Será que acertei?

Ah, abstraia a minha racionalidade idiota... é que minha mente não pára... e eu não to a fim de apagar nada.


Enfim,

Adorei, parabens!
Beijos, querido amigo! :)

ci disse...

Poético demais, magro rapaz. A frase final é surpreendente e fiquei curiosa para saber o resto da noite, rs. bjaoo e parabéns!!!

Anônimo disse...

Amigo, vc me fez viajar com esse texto. Queria ser a moça com ar de menina francesa...
Olha só, recebi um "selo show" promeu blog e, conforme manda a brincadeira, indiquei o seu tb pra recebê-lo. Entre lá nomeu blog, copie o selo e passe-o adiant, se quiser! Beijo, saudades mil. Déia.

Lisa Alves disse...

" Acho. Você tem olhos gentis e um canino sedutor. " isso é desafiador!

Karen disse...

Adorei o "canino sedutor"... :]

diana disse...

vinha hoje andando pelas ruas e pensando "marcelo deveria escrever um livro". definitivamente.

disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
disse...

Olá Marcelo! Obrigada pela visita, seu blog é INCRÍVEL, estou encantada. Eu arrisco alguma coisa, mas confesso que ainda tenho um pouco de vergonha de postar o que eu escrevo, qualquer dia tomo coragem rs. Eu tenho um outro blog que posto alguns versos curtos que as vezes rabisco, mas nada demais. Preciso me preparar melhor pra "dar a cara pra bater". Apareça sempre! Beijos

NaNa Caê disse...

Adorei a forma de elogio ...
"...um canino sedutor"
ushdidiuad

disse...

Pronto, postei uma "baboseira" que escrevi tem um tempinho, não chega nem aos pés das coisas lindas que você escreve, mas é uma tentativa :) Gosto das suas visitas, apareça sempre! Bjs

Lucélia disse...

Perfeito

NaNa Caê disse...

oi, obrigada pela visita .
sobre as produçoes...rs são todas minhas sim. ^^

agora sobre uma prosa...vixi, nao sei se tenho fôlego pra uma escrita de fluxo continuo.
Preciso das quebradas, pausas...
Acho que me sinto mais a vontade com "poemas-crônicas" .

LucéliaMaria.. disse...

Nada.. ainda...

:p