quarta-feira, 20 de outubro de 2010

A dama do lotação


A morena de corpo esbelto atravessou o estreito corredor sem dá cabimento a nenhum malandro. Da roleta até o fim do ônibus ela foi devorada por metade dos passageiros. Eu faço parte dos canalhas. O motorista ainda tentou controlar o instinto, mas o chamado do retrovisor foi mais forte. E lá estava ele, olho grudado no reflexo das curvas e do rebolado. Ela sentou no penúltimo banco, abriu a apostila e começou a ler o texto como se estivesse no silêncio da biblioteca. Freios bruscos, buzinas, conversas paralelas, vendedor de chiclete, pedintes, nada disso abalava a concentração. Seguia impávida. Faltando pouco mais de 100 metros para o meu ponto lancei uma olhar kamikaze acima do seu ombro. Deparei-me com seios belíssimos que apontavam para um título pomposo: “A glicose e o metabolismo das hexoses”. Era o sinal que faltava para mudar toda uma vida de desleixo e covardia. Na manhã seguinte diminuí o açúcar e me converti ao glorioso poder do atrevimento.

6 comentários:

Anônimo disse...

Marcelo, vejo um pouco do que vê! Adorei seus textos!!!!

Sara disse...

Cada dia admiro mais sua capacidade de extrair vida dessa correria...
Beijo.

Camila Costa disse...

Cara, eu desisto.

Sua rotina diária me encanta, e olhe que nem ando mais de ônibus, muito raramente.

luiza disse...

só você pra fazer do dia a dia poesia kkkkk....
seja atrevido, marcelo, seja atrevido!

eusoqueriadizer disse...

Gostaria mto de ter um olhar como o seu...

A minha vida seria mto mais bonita...

Mas minha natureza infelizmente é crítica, fazendo com q a beleza seja guardada pra mto poucos momentos...

Bjusss

Uli... disse...

Ei, so vou poder comentar algo depois que descobrir o que são "Hexoses"!!! KKKkkk...