quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Aromas


Marcaram na cafeteria às 19h. Ele não gostava tanto de café, mas não seria tolo para recusar o convite. Ela, por sua vez, viajava no aroma dos grãos. Parecia levitar entre os cafezais sem tirar os pés do granito.

- Você não vai pedir o seu?

- Não. Eu não sou muito fã...

- Pois eu adoro café a qualquer hora!

- Eu posso só ficar olhando pra você?


Ela riu e continuou a mexer o café com a precisão de quem abre um cofre antigo. Sete voltas no sentido horário, com diminuição de velocidade a partir do quinto círculo. Nem mais, nem menos. O rapaz não via aquilo com espanto ou curiosidade, mas como um jeito divertido de conhecer suas manias.

Ninguém sabe definir a partir de que ponto as retinas se alinharam. Ele disse que foi logo depois que os cubos de açúcar derreteram, ela bateu o pé e afirmou que tudo aconteceu depois do segundo gole. Para a garçonete, que viu e ouviu a gostosa discussão, o estopim foi o toque involuntário das mãos na troca do cardápio. Os dois concordaram. A noite continuou com goles, pausas, sopros e sorrisos. Despediram-se com promessas de um amanhã. Cada um levando para casa o sabor do café na ponta da língua.

8 comentários:

Sara disse...

Pois eu adoro café a qualquer hora!

Quem gostinho bomm... adorei, Panelovisk!

Uli... disse...

Desse jeita da ate vontade de comecar a beber cafe!!!!

Andreh disse...

Pus-me a pensar no meio desse excelente flerte... quem pagou a conta ?

Thaís disse...

Eu é que agradeço... E venha mais vezes... ;D Beijo

Debora disse...

Verdade.. assim, dá mesmo vontade de começar a tomar café. :)

LucéliaMaria.. disse...

Adoro sua seleção de imagens de fotos!

:*

Nomundodalua disse...

Oi marcelo :)vou te add no blo, belê? eh verdade que rendem, mas foi beeem ficção msm, o texto..

já esse seu..muito bom e você sabe escolher titulos, eu nunca sei :/
até mais!

Cleo Lima disse...

que lindo, cara. de verdade.