sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

O Selvagem

Ilustração: Nilsy

Foi batizado aos 15 anos. Quase um bicho do mato. Mas teve o privilégio e a honra de crescer sob a proteção de seis corações incríveis. Aprendeu a tabuada, a pedir licença antes de entrar, a subir na velha goiabeira de olhos fechados, a chorar sem dor, a escrever o próprio nome. Ontem foi visto remexendo escombros. Maldito selvagem. Por que ainda insiste em viver de migalhas se tuas mãos desajeitadas já conseguem segurar com firmeza a faca e o queijo?

10 comentários:

Camila Costa disse...

Um dos meus favoritos :)
Simples, direto.

LucéliaMaria.. disse...

:)

...

Sara disse...

Uma dose de "civilidade", por favor!! rsrs

disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
disse...

ferida narcisica.

Lisa disse...

ele desistiu do sinistro jogo de RPG! Adorei

Luciana Luz disse...

hehehehe... boa!
Panela, visita meu blog: http://casabruxal.blogspot.com/
beijos

Nomundodalua disse...

uau..
poucas linhas, mas fo** x)
esse selvagem tem muito mais civilidade do que muitos que assim se consideram..muito bom!
:)

Karen disse...

Nada de migalhas. Só se for ao tirar (eternamente) o miolo do pão. Beijo.

Uli... disse...

Ótima pergunta!!!!